Texto escrito pela Dra Andrea David, Otorrinolaringologista da Clínica Sonora

SOBRE DEGLUTIÇÃO E DISFAGIA

A deglutição é um processo complexo que envolve diversas estruturas, desde os lábios até o estômago. Requer um controle neurológico fino e uma coordenação perfeita entre os órgãos. A alteração dessa função pode manifestar-se na forma de engasgos, entalos, pigarro, tosse durante a alimentação, sensação de ‘bolo” na garganta ou – em casos mais graves – pneumonias repetidas. Com o envelhecimento da população, a disfagia (alteração da deglutição) tem sido uma queixa cada vez mais frequente em nossos consultórios. Além disso, ela pode acompanhar outros quadros neurológicos, gastrointestinais, alterações no pescoço, sequelas de tratamento com radioterapia ou distúrbios de ansiedade. A disfagia põe em risco a eficácia e a segurança da alimentação. Se o mecanismo de controle da deglutição não for adequado pode haver aspiração de alimentos e água para os pulmões. Quando deglutir vira um problema, perde-se qualidade de vida. Com a perda do prazer em comer vêm a perda de peso, a desidratação e a desnutrição.

UM EXAME SIMPLES PARA UM PROBLEMA COMPLEXO

A evolução tecnológica nos permite avaliar de forma dinâmica e segura como estão funcionamento e harmonia da progressão do alimento da boca até a entrada do esôfago. A Videoendoscopia da deglutição (VED), em inglês FESS (fiberoptic endoscopic evaluation of swallowing) é um exame seguro, sem a necessidade de sedação ou anestesia. Nele buscamos acompanhar o trajeto natural do alimento em tempo real. O exame normalmente é realizado no consultório por um médico otorrinolaringologista junto com um fonoaudiólogo. Com uma pequena fibra ótica flexível, introduzida pelo nariz, observa-se o trajeto da deglutição de alimentos de diferentes consistências. Ainda durante a VED, buscamos avaliar se a propulsão do alimento está correta ou qual órgão não está atuando bem. Também testamos manobras e mudanças posturais que melhoraram a qualidade da deglutição. Não há riscos maiores relacionados ao exame e ele pode ser realizado em qualquer idade, desde que a pessoa compreenda e coopere. A VED e o conceito por trás dela aumentaram a nossa capacidade de identificar a verdadeira dinâmica dos casos de disfagia, o que não era possível com a videoendoscopia tradicional.

SOLUÇÕES PARA OS ENGASGOS

Diante do diagnóstico, o tratamento inicial pode começar logo após a execução do exame.  Muitas vezes, a simples escolha de alimentos mais adequados e hábitos mais eficientes nas refeições já podem ser suficientes. Em casos mais complexos, havendo uma doença como causa do distúrbio, ela deve ser controlada. Outras pessoas podem precisar de terapia fonoaudiológica para melhorar a deglutição.  A  deglutição humana não pode ser compreendida apenas com avaliação anatômica. Ela precisa ser analisada “ao vivo”. Foi assim que a videoendoscopia da deglutição se tornou uma ferramenta fundamental para garantir que as refeições sejam mais eficazes, seguras e prazerosas.

dr-andrea-davidDra. ANDREA DAVID |  Otorrinolaringologista
CRM 52.93551-4