Rinoplastia e Desvio do Septo – Corrigindo Forma e Função

Desvio do septo nasal, aumento da adenoide e dos cornetos nasais, pólipos, rinite, e sinusites… Essas e outras doenças podem causar nariz entupido, dificuldades no sono e nas atividades físicas, com grande piora da qualidade de vida.

Antes de tudo, precisamos respirar. É a respiração que fornece aos nossos órgãos e tecidos uma das substâncias vitais: O oxigênio. O nariz deve permitir que ar respirado chegue em quantidade e qualidade ideais aos pulmões. Assim, qualquer impedimento ao bom fluxo de ar pelo nariz pode ser muito negativo.

Correção do Nariz Adunco

Por outro lado, o nariz também tem importância estética primordial devido a sua localização central na face. Ainda que não exista forma nasal “ideal”, algumas alterações bem típicas costumam trazer muito desconforto para os pacientes. Como exemplo, são frequentes a queixa de nariz torto e nariz adunco (foto), onde pode-se ver uma elevação (giba) na visão de perfil.

Diante disso, surge uma solução unificada para dois problemas, obstrução nasal e queixas estéticas relacionadas ao nariz.

A rinosseptoplastia endoscópica é a cirúrgica capaz de corrigir forma e função nasal, proporcionado um novo patamar de conforto à respiração. Melhorando a qualidade do sono, o conforto nas atividades físicas e acabando com a necessidade de uso de descongestionantes tópicos. Isso sem esquecer de adequar a aparência do nariz a uma estética facial mais harmônica e natural.

O que é o Septo Nasal?

O septo nasal é uma “parede” constituída em parte por uma fina lâmina óssea e de cartilagem. Essa estrutura, recoberta pela mucosa nasal, separa as fossas nasais dos dois lados. Eventualmente, o septo não se situa “no meio” da cavidade nasal, ficando “desviado” para um dos lados. Assim se forma o desvio do septo nasal, que podemos classificar em graus: 1,2 e 3. O desvio grau 3, onde o septo toca a parede lateral da fossa nasal, quase sempre é cirúrgico.

O desvio do septo é uma das causas mais comuns de nariz entupido.

Qual a causa do desvio de septo?

O desvio do septo pode ser causado por traumas e falhas no crescimento da face. Enquanto alguns traumatismos podem ser mais graves (acidentes automobilísticos, agressões e quedas), outros passam desapercebidos, especialmente na infância (boladas, quedas e trombadas em atividades lúdicas e esportivas).

Qual a melhor cirurgia para o desvio de septo?

Desvio do septo e do Nariz

Septoplastia é a cirurgia realizada para corrigir o desvio de septo. Sua técnica evoluiu bastante nas últimas duas décadas. Graças ao advento dos endoscópios nasais, hoje fazemos correções mais precisas e menos traumáticas, e sem uso do tampão nasal. Consequentemente, o pós-operatório da septoplastia tornou-se mais rápido e praticamente indolor.

Já a rinoplastia é a técnica aplicada para a correção das alterações estéticas (ou externas) do nariz. De forma semelhante à septoplastia, houve evolução técnica na rinoplastia nos últimos anos. O acompanhamento de longo prazo, demonstrou que técnicas usadas no passado removiam estruturas desnecessariamente, sem respeito à estrutura do nariz.

Graças a isso, muitos desses pacientes submetidos à cirurgia plástica do nariz no passado tiveram resultados trágicos. Sequelas de rinoplastias mal feitas agravaram-se ainda mais ao longo do tempo, tanto pelo envelhecimento, como pela realização de novas cirurgias usadas na tentativa de corrigir as primeiras. Um dos casos mais conhecidos mundialmente é do falecido astro mundial do pop, Michael Jackson.

Rinosseptoplastia

Cirurgia endoscópica septo nasal

Septoplastia por vídeo

Os avanços técnicos e a experiência acumulada em mais de meio século da cirurgia do nariz mudou a realidade. Atualmente, boa parte dos otorrinolaringologistas está capacitada para realizar de forma pouco invasiva uma cirurgia capaz de corrigir, de uma só vez, forma e função nasal.

Assim, a rinosseptoplastia atual permite ao paciente retornar para casa no mesmo dia e retomar suas atividades mais rapidamente.

O uso do tamponamento contribuiu para a fama da cirurgia nasal como algo sofrido e doloroso. Mesmo assim, ainda recebemos candidatos a esses procedimentos paralisados de medo pelos que leram ou ouviram de outras pessoas.

Felizmente, esse medo atualmente é injustificado.

Com o fim dos tampões nasais, a experiência atual de sair da cirurgia respirando pelo nariz e sem dor é radicalmente diferente do passado.

Uso do Vídeo na Cirurgia de Nariz

Para a maioria dos cirurgiões atuais, é inadmissível realizar uma cirurgia do nariz sem o vídeo. Enquanto os otorrinos formados nos últimos 10 anos certamente não têm ideia de como faze-lo, os cirurgiões do passado não tinham essa potente ferramenta disponível.

De maneira minimamente invasiva, a video-endoscopia fornece uma visão detalhada de todas alterações anatômicas. Como resultado temos uma correção precisa do desvio de septo e das demais alterações, sem trauma desnecessário. Depois de realizadas todas as correções, a visão endoscópica  ainda permite observar e cauterizar todas as áreas sangrantes, evitando o uso dos tampões nasais.

Além da rinoplastia e correção do desvio de septo, a cirurgia nasal também permite tratar sinusites e hipertrofia dos cornetos (carne esponjosa). Essas técnicas são conhecidas, respectivamente, como sinusectomia e turbinectomia (ou turbinoplastia). Assim, não é raro que em apenas uma cirurgia possam ser corrigidos múltiplos problemas, sem piora do pós-operatório.

 

Quais os cuidados antes e depois da cirurgia nasal?

Existe uma rotina de cuidados aplicados antes e após a cirurgia, com o objetivo de melhorar a experiência do pacientes, minimizando riscos e maximizando resultados. Seguem alguns deles:

PRÉ-OPERATÓRIO PARA RINOPLASTIA E CORREÇÃO DO DESVIO DE SEPTO

  • Realização dos exames pré-operatórias adequados para cada paciente, dependendo da idade e condições clínicas.
  • Todas as medicações usadas rotineiramente devem ser informadas ao médico. Anti-inflamatórios, aspirina e anti-coagulantes devem ser suspensos 7 a 10 dias antes da cirurgia.

O DIA DA CIRURGIA

  • Comparecer ao hospital no mínimo uma hora antes do horário marcado para cirurgia. O jejum deve ser de 8 horas, inclusive de água.
  • Todos os exames relacionados à cirurgia devem ser levados ao hospital.
  • Em seguida, o paciente é levado par o quarto ou para o centro cirúrgico.
  • Raramente é necessário o uso de um calmante antes da ida para a sala de cirurgia.

PÓS-OPERATÓRIO IMEDIATO – Primeiras 4 horas

  • curativo bigode

    Aspecto ao fim da cirurgia

    Após acordar na sala de cirurgia, o paciente será levado à sala de recuperação. Não é comum a ocorrência de dor após a septoplastia.

  • Eventualmente ocorrem náuseas e mais raramente, vômitos.
  • Pequenos sangramentos nasais também podem ocorrer. Por isso, usamos um curativo tipo “bigode” preso abaixo do nariz.
  • Acima de tudo, as primeiras horas devem ser de descanso. Um breve cochilo ajuda eliminar as medicações anestésicas ainda circulantes na corrente sanguínea.
  • Nos casos de plástica nasal associada, também poderão ser posicionados curativos especiais sobre o nariz.

PÓS-OPERATÓRIO TARDIO – Até 30 dias

  • A dieta nos primeiros 2-3 dias deverá ser líquida e pastosa, sempre fria ou na temperatura ambiente. Exemplos: água, leite, sucos, água-de-coco, sopas frias, iogurtes, sorvetes, gelatinas. Entre o terceiro e quarto dias deverá ser iniciada a dieta mais sólida.
  • O desconforto da primeira semana ocorre pela obstrução nasal. A limpeza nasal e o uso de soluções salinas em spray ajudam a aliviar esta queixa. Nas três semanas seguintes, a obstrução ainda pode incomodar, porém em intensidade menor.
  • Inchaço do rosto e dos olhos podem ocorrer entre o segundo e sétimo dias, quando houver correção estética do nariz (rinoplastia) associada.
  • Exercícios físicos de qualquer tipo estão proibidos nesta fase. Corrida, bicicleta ou musculação normalmente podem ser retomadas após 2 a 4 semanas.
  • Ainda nesta fase, entre a segunda e quinta semanas, é comum a eliminação de crostas pretas e duras de dentro do nariz, causadas pelo sangue coagulado e seco.