bkpam2152767_google-doctor

O Sabe-Tudo

Meu colega Dr. Google já se acostumou com as críticas e vive bem com elas. Muitos médicos o odeiam e outros morrem de medo dele. Afinal, ter um “concorrente” dentro da casa do pacientes e metido a saber de tudo não é fácil. Mas Dr. Google segue firme ganhando conhecimentos e não tem aposentadoria programada. Pelo contrário, há pouco mais de um ano num comunicado em seu blog, a empresa anunciou o lançamento de um conteúdo próprio sobre doenças e tratamentos, uma espécie de Dr. Google oficial. O projeto, que por enquanto está no ar apenas nos EUA, reúne informações médicas de cerca de 900 doenças, disponibiliza informações de sintomas e tratamentos mais comuns, além da frequência que elas ocorrem. Essas informações foram produzidas e organizadas por uma equipe médica contratada e aparecem em destaque, à direita, no Knowledge Graph. Assim, é possível que muitos internautas não saiam mais dos domínios do Google para responder suas dúvidas sobre doenças.

Todos (inclusive os médicos) buscam informações de saúde no Google

Quando eu era criança (hoje, 4.4) a enciclopédia Britânica era um feitiço. Olhávamos para ela com um respeito sacro, pois ali naqueles 3 tomos estava “tudo” o que se sabia. Hoje você pode colocar aquelas informações num arquivo do Word e aquele “tudo” parece um grão de areia no universo cibernético de informações.

Assim como todos os dados necessários para se construir uma ponte, pilotar um avião ou operar uma retroescavadeira estão disponíveis na internet, certamente os curiosos também podem aprender por aqui a técnica cirúrgica para a ponte de safena. Isso não significa que alguém possa faze-lo sem treinamento adequado ou contratar um profissional.

Atualmente, uma em cada 20 buscas no Google procura informações em saúde. Nada mais natural do que querer saber mais sobre sintomas ou doenças pelas quais amigos, membros da família ou nós mesmos estamos passando. Quando estamos atrás desse conhecimento, caímos em diferentes tipos de páginas: Sensacionalistas, alternativas, relatos pessoais, mas também muita coisa séria e bem produzida. A internet é um espaço aberto e como tal, aceita tudo. A missão daqueles que têm o conhecimento formal em medicina é produzir e deixar a ali a versão mais correta e instrutiva possível. Muitos pacientes saberão diferenciar o que é sério e o que não é. Aqueles que não souberem, virão aos nossos consultórios com conceitos imperfeitos e também lá, teremos a chance de esclarecer melhor suas dúvidas.

Informação é poder. Em saúde não é diferente. No tratamento médico, informação também é remédio. Pacientes  informados são mais conscientes e tendem a se dedicar mais à sua recuperação. O Dr. Google não tem carimbo nem pode usar o bisturi, mas merece nossos aplausos pelo excelente trabalho!