Um grupo de pesquisadores australianos acaba de divulgar dados muito importantes sobre os resultados do implante coclear em crianças em cada idade. A publicação na revista  Otology & Neurotology recebe o nome Long-term Communication Outcomes for Children Receiving Cochlear Implants Younger Than 12 Months: A Multicenter Study e está presente nesta primeira edição de 2016.

No estudo multicêntrico, 406 crianças com surdez sensorioneural severa à profunda e que receberam implantes cocleares até os 6 anos de idade foram divididas em 5 grupos por faixa etária:Implante em crianças

  1. Até 12 meses
  2. De 13 à 18 meses
  3. De 19 à 24 meses
  4. De 25 à 48 meses
  5. De 49 à 72 meses

Os dados sobre os exames de percepção de fala, qualidade da fala e da linguagem foram colhidos durante 24 anos e posteriormente analisados para comparação entre os grupos. Os resultados não deixam muitas dúvidas sobre a necessidade da intervenção o mais precoce possível. Quando comparados à evolução de linguagem das crianças sem perda auditiva, o grupo implantado antes de um ano de idade foi o com o resultado mais próximo. Esses dados podem ajudar na reavaliação da idade mínima para o implante nos EUA, atualmente fixada em 1 ano de vida, mesmo critério adotado pelo SUS no Brasil.  Na Austrália, em vários países da Europa e mesmo no sistema de saúde complementar no Brasil (fora do SUS), as crianças já podem ser implantadas antes dos 12 meses.