IC pra quem

O implante coclear é pop! Uma pesquisa de 2014, realizada entre os leitores do jornal inglês Huffington Post, incluiu o IC entre as maiores invenções do século, ao lado da TV, internet, pílula anticoncepcional e do avião a jato. Se você acha que votação na internet é pouco, em 2013 a Fundação Lasker, entregou o prêmio mais conhecido do mundo das ciências a Graeme M. Clark, Ingeborg Hochmair e Blake S. Wilson, pioneiros no desenvolvimento na tecnologia do IC. Soma-se a isso as inúmeras reportagens e vídeos largamente exibidos pelos jornais, canais de TV, Youtube e afins. Enfim, para nós que trabalhamos com a reabilitação auditiva, ver o implante coclear na boca do povo é bom demais. Digo e repito, o IC é uma maravilha da ciência aplicada para o bem!

Entretanto, toda superexposição também gera confusões. Reportagens de TV e vídeos na internet têm naturalmente seu caráter jornalístico, quase sempre superficial e por vezes até sensacionalista. Isso pode gerar uma ideia falsa para muitas pessoas e médicos não ligados à área, o que acaba nos trazendo muitos pacientes esperançosos de uma “cura” que o IC não pode realizar, ou para os quais o IC não é a melhor opção. É importante dizer que o problema dessas eventuais confusões nunca superarão o benefício social que a difusão dessa tecnologia traz. Que venham mais e mais reportagens!

Uma das dúvidas que mais ouvimos de pacientes que leram ou assistiram tais reportagens é: O implante coclear é pra mim? Foi pensando em em ir um pouco mais a fundo nessa resposta é que enumero abaixo as indicações e contraindicações do implante coclear. Vale dizer que a indicação formal do IC é um processo complexo e sujeito a análise de vários detalhes (mais informações no GUIA do IC do Portal Otorrino), e que portanto só pode ser feito no contato direto com uma equipe de implante coclear.

O IMPLANTE COCLEAR ESTÁ INDICADO SE:

  • Seu (sua) filho(a) nasceu com uma surdez severa a profunda: Essa é uma das mais benéficas indicações do implante coclear. São os bebês que não passaram no teste da orelhinha e que por isso tiveram que fazer outros exames que acabaram confirmando a surdez. Essas crianças, quando implantadas preferencialmente até um ano de idade, tem a chance de desenvolver a fala e a linguagem praticamente no mesmo ritmo das crianças sem problemas auditivos.
  • Você perdeu toda ou quase toda a audição depois de ter ouvido bem, aprendido a falar, ler e escrever: Esse é outro grupo que costuma obter excelentes resultados com o IC. Chamamos essa surdez de pós lingual, pois aparece após o domínio da linguagem. Nesses casos o cérebro está habituado ou devidamente formatado para a audição, podendo se beneficiar enormemente do estímulo sonoro readquirida com o IC.

O IMPLANTE COCLEAR NÃO ESTÁ INDICADO SE:

  • Você teve a indicação de um aparelho auditivo mas não que usar algo aparente: 1. O implante coclear é aparente, e mais aparente do que um aparelho auditivo. 2. É provável que você tenha uma surdez de grau leve a severa e nesse casos os aparelhos auditivos comuns prestam um grande serviço, e sem cirurgia. 3. Você está invertendo as prioridades.  Tente se concentrar em tratar a sua perda de audição da melhor maneira disponível pra você, encontre um médico e uma fonoaudióloga nos quais confia e siga as orientações deles. Você pode se beneficiar muito!
  • Você ou um parente nasceu com uma surdez e não aprendeu a ouvir ou falar na infância: Este é um grupo cada vez menor. Chamamos esses pacientes de surdos pré linguais. Na sua maioria nasceram numa época anterior à existência do teste da orelhinha (otoemissões acústicas). Por opção familiar ou por impossibilidade, são pessoas que não tiveram acesso a aparelhos auditivos e/ou a terapia fonoaudiológica com ênfase na fala e não desenvolveram adequadamente a linguagem oral, falada e escrita. Portanto seus cérebros não “aprenderam a ouvir”, sendo os possíveis benefícios do IC muito limitados.
  • Você têm um problema no nervo auditivo ou nas vias cerebrais da audição: Embora seja bem mais raro, algumas pessoas podem não ter nervos auditivos. Outros podem ter lesões cerebrais importantes nas vias e áreas responsáveis pela audição e a linguagem. Quando esses achados são comprovados, o IC não é capaz de atuar na raiz do problema e é contraindicado.

O IMPLANTE COCLEAR PODE ESTAR INDICADO SE:

  • Você tem uma surdez profunda para sons agudos. Alguns pacientes ouvem normalmente os sons graves, o que compreende a maioria das vogais da fala humana, especialmente na voz masculina, mas têm uma surdez seletiva para os tons agudos. Isso os dificulta ou torna impossível discernir alguns fonemas resultantes das letras S, X, CH, SS, por exemplo. Imagine ouvir a frase “A casa escheia” sem entender as letras em negrito. Dificil, não é? Esses casos são o que chamamos de surdez em agudos. Os aparelhos auditivos podem ter resultados frustrantes e o IC híbrido pode ser uma boa opção.
  • Você tem perda de audição com um zumbido incapacitante. Felizmente são poucos casos, mas algumas pessoas com graus ainda “pequenos” de surdez terem um incômodo muito grande com o zumbido, a ponto de impedi-los de trabalhar ou dormir por exemplo. Para esse grupo, o IC pode ser de grande validade, uma vez que restabelecida a entrada de estímulos sonoros, o zumbido tende a abrandar.
  • Você tem uma surdez unilateral: Essa é a mais controversa das indicações: Pacientes com surdez profunda de um lado e o outro ouvido normal. No Brasil essa indicação não está padronizada, seja nos centros do SUS, seja nos critérios adotados pelos planos de saúde para cobertura do IC. O mesmo ocorre na maioria dos países, incluindo os EUA. Entretanto, cada vez mais estudos vêm mostrando vantagens do restabelecimento da audição binaural (bilateral).

Luciano Moreira – Otorrinolaringologista