A cena é comum no consultório. A mãe entra trazendo o filho adolescente com alguma inflamação da via aérea e, ao fim da consulta, diz:

Mãe: “Doutor, agora diz a ele que não pode andar com os pés descalços no chão!”

Eu: “Mas não foi por isso que ele ficou doente”

Mãe: “Mas fala pra ele que não pode beber água gelada”

Eu: “Mas tá calor e não tem problema”

Mãe: “Tudo bem, mas pelo menos explica que não pode dormir de cabelo molhado”

Eu: “Bem, vamos deixar isso pra outra consulta…”🙂

Na medicina, temos que olhar com cuidado para a chamada “sabedoria popular”. Conselhos consagrados e repetidos por gerações podem não passar de especulação, sem nenhum respaldo clínico ou científico. Além do mais, a propagação dessas crendices esconde a verdadeira causa por trás de cada problema, impedindo a adoção dos cuidados ideais para evita-los. Seguem abaixo algumas pérolas da cultura médica popular, que certamente muitos colegas estão cansados de ouvir nos consultórios.

Vitamina C é bom pra gripe

A vitamina C tem um potente efeito antioxidante. Nosso corpo precisa dela para manter saudáveis os ossos, músculos e artérias. Além disso, ela ajuda na absorção de ferro e participa na formação do colágeno. A vitamina C está presente em muitas frutas, especialmente as cítricas. Ela também é vendida como suplemento em comprimidos de diferentes dosagens e muitas pessoas aprenderam a toma-los frente aos primeiros sintomas de gripes ou resfriados. Num estudo de 2007, pesquisadores analisaram 60 anos de pesquisas clínicas sobre os efeitos da vitamina C nas infecções virais da vias aéreas. O resultado mostrou que, quando usado como tratamento, seu resultado é praticamente nulo. Mesmo quando usado de forma preventiva, os resultados não são tão animadores. Pessoas que tomavam 200 mg de vitamina C diariamente tiveram a duração do seu resfriado diminuída em 10%.

“Não estou surdo, as pessoas que falam pra dentro”

Grande parte das perdas auditivas se instalam lenta e gradualmente, fazendo a ficha da surdez demorar a cair… Somando a negação envolvida, a frase se tornou uma das mais ouvidas pelos profissionais envolvidos na reabilitação auditiva. Em dois posts passados, expliquei o porquê de se escutar, mas não entender nos casos de perda auditiva em agudos e das dificuldades de comunicação impostas pela neuropatia auditiva. Assim, mesmo havendo pessoas que falam mais alto e claramente do que outras, se você tem achado com frequência que “as pessoas falam para dentro”, procure investigar. É provável que essa não seja a verdade inteira.

Dor de cabeça e no rosto é sinusite!

Existem pessoas que têm dores de cabeça, na face e a ao redor dos olhos com frequência. A dor pode latejar e aparecer acompanhada de entupimento do nariz, lacrimejamento ou coriza.  A solução acaba sendo usar um analgésico, procurar um local mais escuro e calmo e esperar passar… Até a dor voltar. Se você tem algo parecido com essa descrição acima, preste muita atenção: Isso não é sinusite! É muito provável que você seja vítima da enxaqueca (migraine em inglês) e você precise de um neurologista. Um estudo com pessoas que acreditavam serem portadoras de dores de cabeça causadas por sinusite, mostrou que 86% delas sofriam de enxaqueca.

A sinusite é uma doença inflamatória da mucosa das cavidades paranasais, localizados ao redor do nariz. Seu aparecimento costuma vir junto ou após gripes, resfriados ou crises alérgicas e quase sempre há a produção de secreção espessa e mais escura. Nesses casos a dor de cabeça existe sim, mas é um sintoma secundário.

Vento na orelha causa otite

O ouvido pode doer quando a exposto ao frio extremo ou a sensação térmica agravada pelo vento. Entretanto, vento não causa otite. Também não é aquela toca ou cachecol que vai impedir o aparecimento de qualquer infecção no ouvido. As otites médias e externas têm causas bem definidas e você pode aprender como evita-las  lendo esse post.

Roncar é normal

Se você ou algum parente ronca com frequência, ou grande parte das noites, isso não é normal. Em alguns casos, pode ser grave! O ronco é um sintoma de obstrução da via aérea durante o sono. Quando ele é frequente, essa obstrução pode levar à síndrome da apneia obstrutiva do sono, desencadeando uma cascata de eventos cardiológicos, neurológicos e metabólicos que podem propiciar diversas doenças e levar a morte. Em crianças, esses distúrbios respiratórios podem afetar de forma definitiva o seu desenvolvimento. Pessoas de todas as idades e que roncam com frequência devem ser avaliadas por um otorrinolaringologistas. Em muitos casos pode estar indicado o exame de polissonografia.

Não se opera mais as amígdalas

Nos anos 70, a cirurgia de amígdala era muito mais comum do que atualmente. Naquela época, 90% das cirurgias eram realizadas para controlar a ocorrência de infecções. Nas últimas décadas, com a introdução de melhores medicamentos e práticas para controle das doenças infecciosas da via aérea, o número de cirurgias das amígdalas caiu bastante. Entretanto, a amigdalectomia ainda é um tratamento bastante utilizado, e extremamente eficaz, no tratamento obstruções respiratórias causadoras de ronco e apneia do sono em crianças.

Essa mentira costuma vir acompanhada de outra, que diz que quando se remove as amígdalas “perde-se proteção”. Pessoas submetidas à cirurgia não são mais sujeitas à infecções do que a população em geral.

Pé no chão causa gripe

Embora tenha na maioria das vezes um curso seja benigno, os casos graves de gripe podem ser fatais. É por isso que o Ministério da Saúde faz todos os anos a campanha de vacinação, nos meses de maio. Na campanha, menores de 2 e maiores de 65 anos, bem como gestantes e pessoas com doenças crônicas devem ser vacinadas. Nesse ano atingiu-se  90% de vacinação desse público alvo e mesmo asssim as mortes em 2016 já chegam a 700. A vacinação ajuda a barrar a disseminação das variantes do vírus influenza (tipos A, B e C), que se dá por contágio direto entre as pessoas, especialmente nos meses mais frios do ano. Alguns cuidados, como lavar frequentemente as mãos, evitar aglomerações ou locais sem ventilação, são muito eficazes na prevenção da gripe. No site do Ministério da Saúde você pode encontrar todas as diretrizes para prevenção e tratamento da gripe.

Entretanto (me perdoem as mães) vocês não vão encontrar lá duas orientações: “Não andar com o pé no chão e não dormir de cabelo molhado”.