A Cirurgia do Implante Coclear

Antes Pré-Operatório

No pré-operatório são avaliados os exames que mostram a condição geral da saúde do pacientes. Algumas medicações de uso contínuo como anticoagulantes devem ser interrompidas bem antes da cirurgia. Outros remédios podem e devem ser mantidos, como os anti-hipertensivos, remédios para controle de asma, diabetes, alterações da tireoide. Essa instruções devem ser passadas de forma individualizada pela equipe cirúrgica, pois podem ser diferentes para cada pessoa.

Os pacientes que serão submetidos ao IC devem receber vacinação anti-pneumocócica por terem uma maior risco de desenvolverem meningite por essa bactéria. O número de doses e a melhor apresentação da vacina variam com a idade e devem ser discutidos com a equipe.

Durante – A Cirurgia

Em pacientes sem má formações anatômicas importantes, a cirurgia do IC tem uma técnica cirúrgica bem estabelecida para um cirurgião de ouvido treinado e experiente. Embora alguns procedimentos possam variar entre as equipes, a cirurgia do IC é feita na maioria das vezes sob anestesia geral, com internação hospitalar. Os pacientes não permanecem mais do que um dia no hospital e muitas equipes optam por uma permanência de 6-10 horas no hospital, sem necessidade de pernoite. Vale porém lembrar que em casos específicos esta permanência pode ser maior. Como em toda cirurgia com anestesia geral, há um período recomendado de jejum de 6 a 8 horas antes do procedimento.

Após os procedimentos burocráticos de internação e a acolhida em ambientes hospitalar, o paciente é encaminhado para o centro cirúrgico já tendo vestido um avental do hospital e estando livre de todos seus pertences e acessórios, como relógios, brincos e mesmo roupas íntimas. Quando necessário, alguma medicação sedativa ou ansiolítica poderá ser tomada por via oral ainda no quarto.

A maioria das equipes cirúrgicas é composta de um cirurgião principal, um cirurgião auxiliar, o médico anestesiologista, uma instrumentadora cirúrgica e o pessoal de enfermagem de suporte. Também é comum estarem presentes técnicos que manejam alguns equipamentos acessórios utilizados na cirurgia, bem como um fonoaudiólogo que realiza a telemetria e o teste dos eletrodos do IC ao fim da cirurgia, conectando-se o mesmo a um computador.

A técnica cirúrgica básica é realizada com o paciente deitado, com a cabeça levemente virada para o lado oposto da orelha a ser operada. Após uma incisão por trás da orelha e valendo-se de um microscópio cirúrgico, a unidade interna do IC é introduzida pelo cirurgião junto ao crânio e abaixo do couro cabeludo, e o feixe de eletrodos inseridos na cóclea. Nesse momento o cirurgião observa se foi possível introduzir todos os eletrodos.Veja abaixo um video de 45 segundos resumindo os principais passos da cirurgia.

Após suturada a abertura e realizado o a telemetria e teste do IC, um curativo compressivo é realizado com gaze e uma atadura ao redor da cabeça, semelhante a um “capacete”.

Uma cirurgia sem intercorrências leva em média uma hora e meia para o IC unilateral e duas a três para implantar os dois lados. Essa duração entretanto pode aumentar bastante diante de circunstâncias específicas.

Depois – Pós-Operatório

Nas primeiras horas após despertar de uma anestesia geral, é comum que o estado de consciência ainda não seja o normal. Sonolência e alguma desorientação leve podem indicar que alguns medicamentos usados para anestesia e analgesia ainda não foram completamente eliminados. Crianças pequenas podem ficar irritadas e chorosas nesse momento, que raramente ultrapassa a primeira hora. O curativo ao redor da cabeça pode causar algum desconforto mas é incomum a queixa de dor.

Nas primeiras horas é importante que o paciente repouse, o quarto deve esyar tranquilo, com pouca luz e com a menor quantidade de pessoas possível. Alguns pacientes podem ter náuseas e mais raramente, vômitos.

Após alta hospitalar, que normalmente acontece no mesmo dia ou no dia seguinte, segue um período de repouso relativo, no qual o paciente pode se locomover sozinho mas deve evitar esforços físicos maiores.

O curativo da cabeça é removido em média 2 dias após a cirurgia e os pontos, quando presentes, após uma semana. Nesta fase em que ainda há curativos na região da orelha, algum cuidado deve ser tomado durante o banho para não molha-los. Recomendamos o uso do chuveirinho para lavar o cabelo.

Atividades escolares e de trabalho são interrompidas em média por uma semana e atividades físicas e esportivas, um mês.

Durante todo o período pós-operatório – quando se dá a cicatrização das áreas operadas – a unidade implantada do IC fica desativada. Após um período médio de 30 dias, o paciente é liberado pelo cirurgião e encaminhado para a ativação com a equipe de fonoaudiologia.

Deixe uma resposta