Aviso Importante: Como vivemos um momento único de grandes transformações a cada dia, minhas atualizações serão acrescentadas no final do texto a medida na medida que os fatos se desenrolarem

Mensagem 1

[18:41, 22/03/2020]

“Olá,
Você está recendo esta mensagem por já ter sido atendido por mim ou por algum colaborador da minha equipe. Inicialmente preciso me desculpar. Se você é nosso paciente há mais tempo sabe que nós nunca enviamos mensagens ou e-mails não solicitados. Entretanto estamos vivendo tempos de exceção, que requerem medidas igualmente excepcionais.
Assim, eu gostaria de te passar a minha visão pessoal desse momento de epidemia pelo coronavírus e algumas informações muito importantes sobre nossa rotina e as possibilidades de atendimento médico nesta fase.

1. TUDO É NOVO

Na medicina e na vida em geral, estamos acostumados a uma certa rotina. No consultório, nas cirurgias, vemos doenças semelhantes repetidamente há anos. Sabemos como elas se comportam e assim sabemos como agir, como tratar. O que está acontecendo agora, como vocês já perceberam, não tem NADA a VER com a rotina que sempre vivemos. Tudo é novo! Portanto, nossas rotinas, nossos hábitos, nossas certezas e também, a forma que os médicos atendem seus pacientes, tem que ser DIFERENTE. Muito diferente! Agora é hora de estarmos disponíveis pelos meios virtuais, como aqui pelo Whatsapp. As consultas presenciais, lá no consultório estão restritas ao máximo, reservado aos casos de crises agudas como otites, amigdalites, remoção de corpos estranhos, crises de labirintite por exemplo, quando não puderem ser orientados por teleatendimento. Para esses casos eu montei uma rígida rotina de atendimento para não expor vocês e a mim mesmo a riscos de contaminação. Minhas secretárias e demais colaboradoras nesse momento foram orientadas por mim a ficarem em casa, para diminuir ao máximo o risco de circulação do vírus nas dependências do consultório. Todos os trabalhos burocráticos, de agendamento e atendimento, bem como a desinfecção do consultório após cada atendimento, vêm sendo feito por mim.

2. SOBRE O CORONAVÍRUS E A DOENÇA COVID-19
Temos que encarar o vírus de forma real, sem exagero para nenhum dos lados. Ele é um vírus novo, provavelmente surgiu em dezembro de 2019 após sofrer uma mutação que permitiu que ele passasse de morcegos para o ser humano, na região de Wuhan, na China. No exato momento que escrevo essa mensagem (às 9:58 do dia 22/03/2020), existem 312 mil pessoas com o diagnóstico confirmado da doença no mundo. Se levarmos em consideração que a grande maioria das pessoas que contraem o vírus são assintomáticas e/ou não foram testadas, concluímos que existem muitas milhões de pessoas portando o microrganismo apenas 4 meses após ele ter infectado UMA pessoa na China. Temos também nesse momento, casos confirmados da doença em 160 países ao redor do planeta! Apenas esses dados já dão uma ideia da enorme capacidade do coronavírus de contaminar pessoas. Aliando essa característica do vírus a realidade que temos hoje de um mundo globalizado e interconectado por rápidos meios de transporte, vivemos uma epidemia de propagação inédita em termos de velocidade. Autoridades sanitárias de vários países, como Alemanha, Estados Unidos e mesmo o Brasil, estimam que ao longo dos próximos meses o vírus poderá infectar entre 50 e 70% das suas populações.
Quanto ao quadro clínico da doença COVID-19, os dados disponíveis nas inúmeras publicações que vêm saindo quase diariamente mostram que na grande maioria das vezes ele se desenvolve de forma BENIGNA. Usamos esse termo para descrever as doenças que evoluem e se curam espontaneamente. Muitas pessoas, principalmente crianças podem ser infectados e não apresentarem sintomas ou a doença.
O quadro clínico mais típico é o de febre (que pode ser alta), dor de cabeça, cansaço, dor no corpo, irritação nasal, dor de garganta, tosse seca e que eventualmente pode evoluir com falta de ar.
A falta de ar é o sintoma de alerta para os casos mais sérios, sendo que esses podem precisar ser atendidos em hospital ( estimados em 20% do total) e um número ainda menor (cerca de 5%) podem necessitar de internação em UTI. Esses casos mais sérios têm ocorrido (em sua maioria, mas não exclusivamente!) em pessoas acima de 60 anos, principalmente as que têm doenças crônicas como hipertensão arterial, diabetes, câncer, doenças neurológicas e vasculares.

*3. A NECESSIDADE DO ISOLAMENTO *
Partindo das informações sobre do parágrafo anterior sobre o vírus, vamos pensar como exemplo, na realidade da cidade do Rio de Janeiro, onde grande parte de vocês moram. Nossa cidade tem 6,32 milhões de habitantes. Pensando na projeção intermediária das autoridades, imaginemos que 60% das pessoas contraiam o vírus. Seriam 4,4 milhões. Se desses, 5% precisarem de UTI, são 221 mil pessoas. Acontece que nossa cidade conta apenas atualmente com cerca de 4 mil leitos de UTI (metade no SUS e metade nos hospitais particulares) e que em sua grande maioria já estão ocupados com doentes acometidos por outras patologias. Diante desse problema a maiorias dos hospitais e das autoridades de saúde vem implementando medidas para esvaziar o quanto os leitos de UTI, como suspensão de cirurgias eletivas que precisam desses leitos no período pós-operatório e aumento do número de leitos, seja abrindo novos hospitais, seja adaptando os espações hoje existentes, como enfermarias e centros cirúrgicos em leitos de UTI. Sem dúvida essas medidas poderão aumentar bastante o número de leitos, mas infelizmente não o bastante para atender todos os que precisarem, SE TODOS PRECISAREM AO MESMO TEMPO.
Por isso, o ISOLAMENTO SOCIAL é a medida mais urgente, já que ela poderá fazer com que as pessoas contraiam o vírus, desenvolvam ou não a doença é eventualmente necessitem de ser hospitalizadas de forma alternada. Essa é por enquanto a melhor maneira de você proteger sua família e principalmente, você mesmo. Quanto menos contato com outras pessoas e quanto mais você ficar em casa, menos exposto você estará a essa doença e mesmo chance de você ser UMA PONTE a levar o vírus para sua família e seus amigos.
Por isso faço meu apelo pessoal a você, FIQUE EM CASA!.”

4. A HIGIENE PESSOAL
O coronavírus fica disponível nas secreções na nossa via aérea e é através delas que ele infecta outras pessoas. Assim, nariz, boca e mesmo os olhos são as portas de entrada e saída do vírus entre nós. Podemos receber nos nossos olhos, nariz e boca pequenas e invisíveis gotículas de secreções vindas das vias aéreas de outras pessoas quando eles espirram, tossem ou mesmo quando respiram! O isolamento ajuda a evitar esse tipo de contaminação.
Outra fonte muito comum de transmissão do coronavírus, bem como da gripe comum, são AS MÃOS. Precisamos delas o tempo todo. Uma vez em isolamento, e principalmente quando precisamos sair para comprar comida, remédios ou algo essencial temos que ter TOTAL VIGILÂNCIA DAS MÃOS, seja com lavagens repetidas e uso do álcool gel, seja EVITANDO TOCAR A FACE.
Também é hora de uma higiene mais rigorosa e frequente de roupas, cabelos e sapatos. Aconselho deixar um sapato para fora da porta de casa e não o utilizar na parte interna. Já sabemos que o coronavírus pode permanecer vivo e capaz de infectar por vários dias em superfícies, como no chão.
Quando fizer pedidos em casa, não apenas evite o contato físico com os entregadores, mas procure descartar as sacolas e embalagens imediatamente no lixo e lavar as mãos logo em seguida.

5. O QUE MAIS EU POSSO FAZER
Como eu disse acima, apensar das medidas de isolamento (que não poderão ser eternas!) para que as pessoas não fiquem todas doentes ao mesmo tempo, uma grande parte de nós, possivelmente a maioria, terá seu encontro pessoal com o vírus em algum momento. Quando essa hora chegar, a luta é entre o coronavírus e nosso sistema de defesa (nosso sistema imunológico). Enquanto um tratamento eficaz ou uma vacina não chegam, somos nós mesmos que precisamos derrotá-lo e temos todas as condições para isso. Para que você esteja em forma e se saia bem nesta batalha, CUIDE DA SUA SAÚDE física e mental nesses dias.

DICAS:

. Se você usa remédios para controlar a pressão arterial, a glicose ou qualquer outra condição de saúde, essa é a hora de você não deixar falhar. Quanto mais bem controlada sua saúde estiver, mais forte você estará para derrotar seja o coronavírus, seja o vírus da gripe ou qualquer outro microrganismos.
. Alimente-se bem, incluindo vegetais, frutas e proteínas para que você tenha todas as vitaminas necessárias para o bom funcionamento do seu sistema imunológico.
. Durma bem
. Tome bastante líquido (não podia faltar esse conselho tradicional de médico, não é?:),
. Pratique 15-30 minutos de exercícios físicos adequados a sua realidade. Há inúmeros vídeos no Youtube para isso! Seu sistema de defesa agradece
. Não fume e não beba bebidas alcoólicas. Essa parte pode ser difícil para muitos já que a ansiedade do confinamento tende a fazer aumentar o consumo. Lembre-se: Seu objetivo é resguardar a sua saúde e a sua vida!

6. SOBRE OS TRATAMENTOS E VACINAS PARA O CORONAVIRUS
Muitas notícias vêm saindo nos últimos dias sobre a possibilidades do uso de medicamentos e o desenvolvimento de vacinas para o coronavírus, com destaque especial para a hidroxicloroquina. Tratam-se de medicamentos antigos e usados há décadas em doenças como a malária e certas doenças reumáticas.
Os estudos que temos até agora são muito preliminares, com poucos doentes e com metodologia duvidosa. Mesmo assim, eles trazem esperanças! Nesse momento ja há protocolos de pesquisa sendo aplicados no Brasil e no restante do mundo e em breve (talvez em duas semanas ou mesmo antes) tenhamos alguns resultados mais sólidos. Enquanto isso não acontecer peço que não façam uso de automedicação de NENHUM TIPO. Caso apresentem sintomas sugestivos da COVID-19 e precisem de esclarecimentos, por favor façam contato direto comigo que vamos avaliar juntos, caso a caso, a melhor maneira de conduzir.

7. TOME A VACINA DA GRIPE
A gripe é uma doença séria e potencialmente fatal. Todos os anos, cerca de meio milhão de pessoas noutro morrem em virtude da gripe e suas complicações. Este ano o ministério da saúde antecipou o início da vacinação da gripe para segunda-feira dia 23/03, inicialmente apenas para pessoas acima de 60 anos e profissionais de saúde e mais adiante para outros grupos.
Embora temos que evitar aglomerações a todo custo, fique atento as comunicações das autoridades locais e escolha um lugar seguro para se vacinar.
Isso ajudará não só a te manter protegido da gripe e suas complicações, quanto ajudará a evitar a confusão entre os quadros clínicos dela e da Covid-19, já que são muito parecidos.

7. O QUE FAZER DIANTE DE UMA URGÊNCIA MÉDICA
Infelizmente as outras doenças não deixam de acontecer durante a epidemia. Entretanto, agora é hora de avaliar com cuidado cada queixa ou problema que surja. Levando em conta a necessidade de se evitar sair de casa e a presença em ambientes hospitalares, tudo aquilo que puder aguardar ou ser aliviado com segurança em casa, sem ter que se deslocar até um atendimento, melhor.
Na mensagem seguinte enviarei o fluxo de atendimento e suporte que está em vigor há 4 dias, e que poderá contar com orientações por telefone ou Whatsapp, Teleatendimento por vídeo chamada ou em casos urgentes e selecionados, consultas presenciais no consultório.
Apesar da verdadeira guerra sanitária que vivemos agora, TUDO ISSO VAI PASSAR! Somos TODOS agora soldados do mesmo exército.
Faça sua parte!
Do meu lado, estarei aqui durante toda a epidemia para te ajudar com informações e com suporte.
[18:44, 22/03/2020] Luciano Moreira: EXCLUSIVA PARA PACIENTES do Dr. Luciano Moreira / Equipe Sonora
Orientações sobre a epidemia de Covid-19

“Olá,
Você está recendo esta mensagem por já ter sido atendido por mim ou por algum colaborador da minha equipe. Inicialmente preciso me desculpar. Se você é nosso paciente há mais tempo sabe que nós nunca enviamos mensagens ou e-mails não solicitados. Entretanto estamos vivendo tempos de exceção, que requerem medidas igualmente excepcionais.
Assim, eu gostaria de te passar a minha visão pessoal desse momento de epidemia pelo coronavírus e algumas informações muito importantes sobre nossa rotina e as possibilidades de atendimento médico nesta fase.

*1. TUDO É NOVO *
Na medicina e na vida em geral, estamos acostumados a uma certa rotina. No consultório, nas cirurgias, vemos doenças semelhantes repetidamente há anos. Sabemos como elas se comportam e assim sabemos como agir, como tratar. O que está acontecendo agora, como vocês já perceberam, não tem NADA a VER com a rotina que sempre vivemos. Tudo é novo! Portanto, nossas rotinas, nossos hábitos, nossas certezas e também, a forma que os médicos atendem seus pacientes, tem que ser DIFERENTE. Muito diferente! Agora é hora de estarmos disponíveis pelos meios virtuais, como aqui pelo Whatsapp. As consultas presenciais, lá no consultório estão restritas ao máximo, reservado aos casos de crises agudas como otites, amigdalites, remoção de corpos estranhos, crises de labirintite por exemplo, quando não puderem ser orientados por teleatendimento. Para esses casos eu montei uma rígida rotina de atendimento para não expor vocês e a mim mesmo a riscos de contaminação. Minhas secretárias e demais colaboradoras nesse momento foram orientadas por mim a ficarem em casa, para diminuir ao máximo o risco de circulação do vírus nas dependências do consultório. Todos os trabalhos burocráticos, de agendamento e atendimento, bem como a desinfecção do consultório após cada atendimento, vêm sendo feito por mim.

2. SOBRE O CORONAVÍRUS E A DOENÇA COVID-19
Temos que encarar o vírus de forma real, sem exagero para nenhum dos lados. Ele é um vírus novo, provavelmente surgiu em dezembro de 2019 após sofrer uma mutação que permitiu que ele passasse de morcegos para o ser humano, na região de Wuhan, na China. No exato momento que escrevo essa mensagem (às 9:58 do dia 22/03/2020), existem 312 mil pessoas com o diagnóstico confirmado da doença no mundo. Se levarmos em consideração que a grande maioria das pessoas que contraem o vírus são assintomáticas e/ou não foram testadas, concluímos que existem muitas milhões de pessoas portando o microrganismo apenas 4 meses após ele ter infectado UMA pessoa na China. Temos também nesse momento, casos confirmados da doença em 160 países ao redor do planeta! Apenas esses dados já dão uma ideia da enorme capacidade do coronavírus de contaminar pessoas. Aliando essa característica do vírus a realidade que temos hoje de um mundo globalizado e interconectado por rápidos meios de transporte, vivemos uma epidemia de propagação inédita em termos de velocidade. Autoridades sanitárias de vários países, como Alemanha, Estados Unidos e mesmo o Brasil, estimam que ao longo dos próximos meses o vírus poderá infectar entre 50 e 70% das suas populações.
Quanto ao quadro clínico da doença COVID-19, os dados disponíveis nas inúmeras publicações que vêm saindo quase diariamente mostram que na grande maioria das vezes ele se desenvolve de forma BENIGNA. Usamos esse termo para descrever as doenças que evoluem e se curam espontaneamente. Muitas pessoas, principalmente crianças podem ser infectados e não apresentarem sintomas ou a doença.
O quadro clínico mais típico é o de febre (que pode ser alta), dor de cabeça, cansaço, dor no corpo, irritação nasal, dor de garganta, tosse seca e que eventualmente pode evoluir com falta de ar.
A falta de ar é o sintoma de alerta para os casos mais sérios, sendo que esses podem precisar ser atendidos em hospital ( estimados em 20% do total) e um número ainda menor (cerca de 5%) podem necessitar de internação em UTI. Esses casos mais sérios têm ocorrido (em sua maioria, mas não exclusivamente!) em pessoas acima de 60 anos, principalmente as que têm doenças crônicas como hipertensão arterial, diabetes, câncer, doenças neurológicas e vasculares.

*3. A NECESSIDADE DO ISOLAMENTO *
Partindo das informações sobre do parágrafo anterior sobre o vírus, vamos pensar como exemplo, na realidade da cidade do Rio de Janeiro, onde grande parte de vocês moram. Nossa cidade tem 6,32 milhões de habitantes. Pensando na projeção intermediária das autoridades, imaginemos que 60% das pessoas contraiam o vírus. Seriam 4,4 milhões. Se desses, 5% precisarem de UTI, são 221 mil pessoas. Acontece que nossa cidade conta apenas atualmente com cerca de 4 mil leitos de UTI (metade no SUS e metade nos hospitais particulares) e que em sua grande maioria já estão ocupados com doentes acometidos por outras patologias. Diante desse problema a maiorias dos hospitais e das autoridades de saúde vem implementando medidas para esvaziar o quanto os leitos de UTI, como suspensão de cirurgias eletivas que precisam desses leitos no período pós-operatório e aumento do número de leitos, seja abrindo novos hospitais, seja adaptando os espações hoje existentes, como enfermarias e centros cirúrgicos em leitos de UTI. Sem dúvida essas medidas poderão aumentar bastante o número de leitos, mas infelizmente não o bastante para atender todos os que precisarem, SE TODOS PRECISAREM AO MESMO TEMPO.
Por isso, o ISOLAMENTO SOCIAL é a medida mais urgente, já que ela poderá fazer com que as pessoas contraiam o vírus, desenvolvam ou não a doença é eventualmente necessitem de ser hospitalizadas de forma alternada. Essa é por enquanto a melhor maneira de você proteger sua família e principalmente, você mesmo. Quanto menos contato com outras pessoas e quanto mais você ficar em casa, menos exposto você estará a essa doença e mesmo chance de você ser UMA PONTE a levar o vírus para sua família e seus amigos.
Por isso faço meu apelo pessoal a você, FIQUE EM CASA!.”

4. A HIGIENE PESSOAL
O coronavírus fica disponível nas secreções na nossa via aérea e é através delas que ele infecta outras pessoas. Assim, nariz, boca e mesmo os olhos são as portas de entrada e saída do vírus entre nós. Podemos receber nos nossos olhos, nariz e boca pequenas e invisíveis gotículas de secreções vindas das vias aéreas de outras pessoas quando eles espirram, tossem ou mesmo quando respiram! O isolamento ajuda a evitar esse tipo de contaminação.
Outra fonte muito comum de transmissão do coronavírus, bem como da gripe comum, são AS MÃOS. Precisamos delas o tempo todo. Uma vez em isolamento, e principalmente quando precisamos sair para comprar comida, remédios ou algo essencial temos que ter TOTAL VIGILÂNCIA DAS MÃOS, seja com lavagens repetidas e uso do álcool gel, seja EVITANDO TOCAR A FACE.
Também é hora de uma higiene mais rigorosa e frequente de roupas, cabelos e sapatos. Aconselho deixar um sapato para fora da porta de casa e não o utilizar na parte interna. Já sabemos que o coronavírus pode permanecer vivo e capaz de infectar por vários dias em superfícies, como no chão.
Quando fizer pedidos em casa, não apenas evite o contato físico com os entregadores, mas procure descartar as sacolas e embalagens imediatamente no lixo e lavar as mãos logo em seguida.

5. O QUE MAIS EU POSSO FAZER
Como eu disse acima, apensar das medidas de isolamento (que não poderão ser eternas!) para que as pessoas não fiquem todas doentes ao mesmo tempo, uma grande parte de nós, possivelmente a maioria, terá seu encontro pessoal com o vírus em algum momento. Quando essa hora chegar, a luta é entre o coronavírus e nosso sistema de defesa (nosso sistema imunológico). Enquanto um tratamento eficaz ou uma vacina não chegam, somos nós mesmos que precisamos derrotá-lo e temos todas as condições para isso. Para que você esteja em forma e se saia bem nesta batalha, CUIDE DA SUA SAÚDE física e mental nesses dias.

DICAS:

. Se você usa remédios para controlar a pressão arterial, a glicose ou qualquer outra condição de saúde, essa é a hora de você não deixar falhar. Quanto mais bem controlada sua saúde estiver, mais forte você estará para derrotar seja o coronavírus, seja o vírus da gripe ou qualquer outro microrganismos.
. Alimente-se bem, incluindo vegetais, frutas e proteínas para que você tenha todas as vitaminas necessárias para o bom funcionamento do seu sistema imunológico.
. Durma bem
. Tome bastante líquido (não podia faltar esse conselho tradicional de médico, não é?:),
. Pratique 15-30 minutos de exercícios físicos adequados a sua realidade. Há inúmeros vídeos no Youtube para isso! Seu sistema de defesa agradece
. Não fume e não beba bebidas alcoólicas. Essa parte pode ser difícil para muitos já que a ansiedade do confinamento tende a fazer aumentar o consumo. Lembre-se: Seu objetivo é resguardar a sua saúde e a sua vida!

6. SOBRE OS TRATAMENTOS E VACINAS PARA O CORONAVIRUS
Muitas notícias vêm saindo nos últimos dias sobre a possibilidades do uso de medicamentos e o desenvolvimento de vacinas para o coronavírus, com destaque especial para a hidroxicloroquina. Tratam-se de medicamentos antigos e usados há décadas em doenças como a malária e certas doenças reumáticas.
Os estudos que temos até agora são muito preliminares, com poucos doentes e com metodologia duvidosa. Mesmo assim, eles trazem esperanças! Nesse momento ja há protocolos de pesquisa sendo aplicados no Brasil e no restante do mundo e em breve (talvez em duas semanas ou mesmo antes) tenhamos alguns resultados mais sólidos. Enquanto isso não acontecer peço que não façam uso de automedicação de NENHUM TIPO. Caso apresentem sintomas sugestivos da COVID-19 e precisem de esclarecimentos, por favor façam contato direto comigo que vamos avaliar juntos, caso a caso, a melhor maneira de conduzir.

7. TOME A VACINA DA GRIPE
A gripe é uma doença séria e potencialmente fatal. Todos os anos, cerca de meio milhão de pessoas noutro morrem em virtude da gripe e suas complicações. Este ano o ministério da saúde antecipou o início da vacinação da gripe para segunda-feira dia 23/03, inicialmente apenas para pessoas acima de 60 anos e profissionais de saúde e mais adiante para outros grupos.
Embora temos que evitar aglomerações a todo custo, fique atento as comunicações das autoridades locais e escolha um lugar seguro para se vacinar.
Isso ajudará não só a te manter protegido da gripe e suas complicações, quanto ajudará a evitar a confusão entre os quadros clínicos dela e da Covid-19, já que são muito parecidos.

8. O QUE FAZER DIANTE DE UMA URGÊNCIA MÉDICA
Infelizmente as outras doenças não deixam de acontecer durante a epidemia. Entretanto, agora é hora de avaliar com cuidado cada queixa ou problema que surja. Levando em conta a necessidade de se evitar sair de casa e a presença em ambientes hospitalares, tudo aquilo que puder aguardar ou ser aliviado com segurança em casa, sem ter que se deslocar até um atendimento, melhor.
Na mensagem seguinte enviarei o fluxo de atendimento e suporte que está em vigor há 4 dias, e que poderá contar com orientações por telefone ou Whatsapp, Teleatendimento por vídeo chamada ou em casos urgentes e selecionados, consultas presenciais no consultório.
Apesar da verdadeira guerra sanitária que vivemos agora, TUDO ISSO VAI PASSAR! Somos TODOS agora soldados do mesmo exército.
Faça sua parte!
Do meu lado, estarei aqui durante toda a epidemia para te ajudar com informações e com suporte.