OTITES NA INFÂNCIA

Muitas crianças passam por um ou mais episódios de dor de ouvido causados por otite média até os 5 anos de idade. Na grande maiorias das vezes, essas otites curam espontaneamente ou são tratadas com antibióticos orais. Mais raramente entretanto, esses episódios repetem-se muitas vezes, ou tornam-se crônicos. Esses casos podem gerar complicações, como perda auditiva, atraso no desenvolvimento da linguagem e alteração no comportamento e outras complicações mais sérias, com risco de vida ou de sequelas graves (quadro abaixo). É quando o tubo de ventilação se torna uma arma importante na para o tratamento ou prevenção.

COMPLICAÇÕES DAS OTITES MÉDIAS
Atraso da fala
Meningite
Paralisia facial
Abcesso cerebral
Mastoidite
Trombose do seio sigmoide
Labirintite infecciosa
Fístula labiríntica
Petrosite

O que é o tubo de ventilação?

Modelos de tubos de ventilação

Tubo de ventilação é um pequenino cilindro no formato de carretel, que funciona como um dreno comunicando suas extremidades, uma voltada para fora e outra para dentro da membrana do tímpano. Eles são feitos de diferentes materiais e podem ser de curta ou longa permanência. Com isso, a parte interna do tímpano, chamada orelha média, fica permanentemente aerada através do tubo, evitando o acúmulo das secreções causadoras das otites. Os tubos de curta permanência são colocados para permanecer em média 6 a 12 meses nos ouvidos enquanto os de longa permanência são usados para permanecer por  anos ou por prazo indeterminado.

Quem precisa de tubos de ventilação.

  • Otites de repetição: Crianças com quadros de dor de ouvido recorrentes, com uso de antibiótico várias vezes ao ano podem se beneficiar da colocação do carretel para melhorar a ventilação do ouvido médio
  • Otite média serosa, otite médica secretora (acúmulo de secreção ou ouvido médio, atrás do tímpano): Quadros que pode acontecer em todas as idades, embora sejam mais comuns na criança. Além de causar perda auditiva e poder prejudicar o desenvolvimento das crianças, pode causar também zumbido, tonteira e alteração do equilíbrio.
  • Aplicação de medicação tópica na orelha média: o uso de medicação intratimpânica tem ganhado espaço no tratamento de algumas doenças do ouvido interno como surdez súbita e a síndrome de Ménière. Nesses casos o tubo de ventilação pode fornecer um canal adequado para aplicação de corticoides ou antibióticos.
  • Disfunção da tuba auditiva: o bom funcionamento da tuba auditiva (que liga o ouvido médio ao fundo do nariz) é fundamental para a saúde do ouvido médio e também para os momentos em que somos submetidos a diferenças na pressão ambientes como em viagens aéreas, mergulhos, subidas e descidas de serras e montanhas. Pacientes que viajam de avião com muita frequência e não conseguem alivia sintomas de dor e pressão nos ouvidos com o tratamento clínico, podem se beneficiar dos tubos de ventilação.

Como é o procedimento para colocar o tubo de ventilação?

Apesar de ser um procedimento cirúrgico, a colocação do tubo de ventilação pode ser feita no consultório nos adultos, utilizando o videoendoscópio ou o microscópio.Em crianças podemos precisar de uma sedação ou anestesia geral, em ambiente hospitalar. O procedimento dura poucos minutos. Após a anestesia (geral ou local) e com visualização videoendoscópica ou microscópica, fazemos uma incisão na membrana timpânica e aspiração da secreção no ouvido médio. Em seguida introduzimos o tubo de ventilação através desta incisão. Veja o vídeo.

Como é o pós-operatório?

A recuperação do procedimento costuma ser muito boa. No caso das crianças submetidas a anestesia geral, são necessárias 2 ou 3 horas para a recuperação completa do torpor e desorientação causados pela medicação anestésica.

O maior cuidado a partir deste momento é impedir a entrada de água nos ouvidos, já que eles se encontram “abertos” através dos tubos e sujeitos à infecções causadas pela entrada de bactérias contaminantes.

Após a cicatrização que dura alguns dias pode ser necessária uma audiometria para avaliar a recuperação da audição.

Quais as complicações possíveis?

A colocação do tubo de ventilação é um procedimento muito comum e seguro, entretanto não está livre de algumas raras complicações como a permanência de uma perfuração timpânica após a saída do tubo, infecções repetidas e drenagem de secreção pelo tubo.