Escuta e entende

É comum tratar a surdez como a deficiência invisível. De fato, sem um nível mais próximo de conversa, a perda auditiva nem sempre fica clara. E além da dificuldade dos outros em perceber a surdez de alguém, o início dela muitas vezes também não é claro para a própria pessoa. Uma das frases que mais ouvidas dos pacientes que apresentam uma surdez de grau leve ou moderado é: Eu escuto, mas não entendo! Apesar de parecer estranho, esse fenômeno tem explicação e ela não é tão complicada.

A EXPLICAÇÃO

A fala é composta pelos sons das vogais (a, e, i, o, u) e das consoantes (s, ss, f, ch, c, t, v…). As vogais têm sons de frequência mais grave e volume mais alto, enquanto as consoantes tendem a ter frequências mais altas e volumes mais baixos, especialmente em vozes femininas e muito finas. E grande parte das perdas auditivas costumam causar uma perda mais séria nos sons agudos (os das consoantes) do que nos graves.

Assim, nesse cenário de uma perda auditiva nos agudos, a pessoa acaba ouvindo as palavras apenas em parte, ouvindo mais as vogais e menos as consoantes. Para exemplificar, veja as palavras no quadro abaixo. Na primeira coluna está a palavra que foi dita. Na segunda coluna, o que a pessoa conseguiu ouvir da palavra segundo a sua perda auditiva e o volume que foi dita. Na última coluna, estão os sentidos possíveis para o que a pessoa ouviu. E assim que começa todo o problema. Uma perda auditiva pequena pode fazer perder apenas uma letra, mas aí corre-se o risco de perder a palavra, a frase e por fim, o sentido. Assim, o “ouvir, mas não entender” surge do que não se ouviu, sendo portanto resultado de algum grau de surdez.

PALAVRA DITA PARTE OUVIDA DA PALAVRA SENTIDO
taxa taa taxa, tapa, taça?
carro cao carro, caso, calo?
faixa aia faixa, caixa, baixa?

 

SINAIS DE ALERTA

Conheça todos os sinais de uma possível perda de audição.

  • Consegue ouvir mas não entender
  • Dificuldade de ouvir em restaurantes ou  outros ambientes ruidosos
  • Pedir com frequência para outras pessoas repetir o que disseram
  • Depender de olhar para as pessoas para entender o que dizem
  • Aumentar com frequência o volume da TV
  • Achar que todo mundo sussurra ou “fala para dentro”

ALÉM DA PERDA DE AUDIÇÃO

Embora com frequência a dificuldade de compreender a fala venha de uma perda de audição, existem outras causas menos comuns. Alguns pacientes podem ter dificuldade de discriminar os sons por doenças que podem acometer os nervos auditivos. Outras vezes, o processamento auditivo da fala e da linguagem pode estar alterado no nível cerebral.

Diante de qualquer suspeita, procure atendimento especializado.

 

Luciano Moreira – Otorrinolaringologista